video destaque
20.12.2023

‘Tapa do amor’ confirma intolerância petista

A promulgação da reforma tributária no Congresso foi marcada por confusão. Durante a sessão, realizada nesta quarta-feira, 20, o deputado Washington Quaquá, do PT, deu um tapa no rosto de seu colega Messias Donato, do Republicanos...

A promulgação da reforma tributária no Congresso foi marcada por confusão. Durante a sessão, realizada nesta quarta-feira, 20, o deputado Washington Quaquá, do PT, deu um tapa no rosto de seu colega Messias Donato, do Republicanos. No momento da agressão, parlamentares de oposição cantavam “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão”.

Após o episódio, Donato afirmou, em sua conta no X, o antigo Twitter, que o petista “não ficará impune”.

“Deputado Quaquá me agrediu aqui no Plenário. Não ficará impune. O tapa do amor, porque o amor venceu o ódio!”, escreveu o parlamentar. 

Já Quaquá tentou se fazer de vítima, em nota divulgada um pouco depois da agressão.

“Em relação ao incidente ocorrido, esclareço que minha reação foi desencadeada por uma agressão anterior. O deputado proferia ofensas contra o presidente da República quando liguei a câmera do celular com a intenção de produzir prova para um processo. Fui então empurrado, e tive o braço segurado para evitar a filmagem. Nunca utilizo a violência como método, mas não tolero agressões verbais ou físicas da ultra direita, e sempre reagirei para me defender. Bateu, levou”, afirmou o petista.

Felipe Moura Brasil e Carlos Graieb comentam:

video destaque

‘Tapa do amor’ confirma intolerância petista

A promulgação da reforma tributária no Congresso foi marcada por confusão. Durante a sessão, realizada nesta quarta-feira, 20, o deputado Washington Quaquá, do PT, deu um tapa no rosto de seu colega Messias Donato, do Republicanos...

A promulgação da reforma tributária no Congresso foi marcada por confusão. Durante a sessão, realizada nesta quarta-feira, 20, o deputado Washington Quaquá, do PT, deu um tapa no rosto de seu colega Messias Donato, do Republicanos. No momento da agressão, parlamentares de oposição cantavam “Lula, ladrão, seu lugar é na prisão”.

Após o episódio, Donato afirmou, em sua conta no X, o antigo Twitter, que o petista “não ficará impune”.

“Deputado Quaquá me agrediu aqui no Plenário. Não ficará impune. O tapa do amor, porque o amor venceu o ódio!”, escreveu o parlamentar. 

Já Quaquá tentou se fazer de vítima, em nota divulgada um pouco depois da agressão.

“Em relação ao incidente ocorrido, esclareço que minha reação foi desencadeada por uma agressão anterior. O deputado proferia ofensas contra o presidente da República quando liguei a câmera do celular com a intenção de produzir prova para um processo. Fui então empurrado, e tive o braço segurado para evitar a filmagem. Nunca utilizo a violência como método, mas não tolero agressões verbais ou físicas da ultra direita, e sempre reagirei para me defender. Bateu, levou”, afirmou o petista.

Felipe Moura Brasil e Carlos Graieb comentam:

Mais lidas

TSE vai endossar farsa eleitoral de Maduro por Lula?

Imagem Item
Visualizar notícia

É tudo culpa da Casa Civil

Wilson Lima
Imagem Item
Visualizar notícia

Inspirado por Biden, Datena ensaia ‘datenar’

Imagem Item
Visualizar notícia

Se a ideologia woke fosse uma pessoa, seria Kamala Harris

Alexandre Borges
Imagem Item
Visualizar notícia

"Democratas colhem o que plantaram"

Alexandre Borges
Imagem Item
Visualizar notícia

Playlists

Antagonista Docs

Antagonista Meeting

Entrevistas

Ilha de Cultura

Latitude

Meio-Dia em Brasília

Narrativas Antagonista com Madeleine Lackso

Papo Antagonista com Felipe Moura Brasil

Ver mais playlists

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.