O Antagonista

Valdemar relatou à PF pressão de Bolsonaro para questionar urnas no TSE

avatar
Wilson Lima
2 minutos de leitura 15.03.2024 14:36 comentários
Brasil

Valdemar relatou à PF pressão de Bolsonaro para questionar urnas no TSE

Na época, o presidente do TSE, Alexandre de Moraes, impôs uma multa de 22 milhões de reais ao PL por litigância de má-fé

avatar
Wilson Lima
2 minutos de leitura 15.03.2024 14:36 comentários 0
Valdemar relatou à PF pressão de Bolsonaro para questionar urnas no TSE
Foto: Beto Barata/ PL

Em depoimento prestado à Polícia Federal em 22 de fevereiro, o presidente do PL, Valdemar Costa Neto, disse que foi pressionado por deputados e por Jair Bolsonaro a questionar a lisura do processo eleitoral no final de 2022.

Segundo informações prestadas por Valdemar, após a auditoria assinada pelo Instituto Voto Legal (IVL), ele sofreu pressão tanto do ex-presidente quanto de parlamentares para ingressar com uma ação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) questionando o resultado das urnas.

Na época, o presidente do TSE, Alexandre de Moraes, não somente indeferiu o pedido de Valdemar como impôs uma multa de 22 milhões de reais ao PL por litigância de má-fé.

Pressão

“Indagado se o então presidente Jair Bolsonaro insistiu com o declarante para ajuizar ação no TSE questionando o resultado das urnas eletrônicas, [Valdemar] respondeu que, quando houve o vazamento do relatório do IVL, os deputados do Partido Liberal e então presidente Bolsonaro o pressionaram para ajuizar tal ação no TSE”, registra o termo de depoimento da PF.

Valdemar também reafirmou aos agentes da PF que nunca concordou com as falas do ex-presidente da República sobre eventuais fraudes nas urnas “pois já participou de várias eleições e nunca presenciou nada que desabonasse o sistema eleitoral brasileiro”.

Ainda pelas informações prestadas por ele, o IVL foi apresentado ao partido pelo então candidato ao senado e ex-ministro Marcos Pontes.

Sem golpe

No termo de depoimento, que tem 22 páginas, Valdemar declarou que nunca considerou como séria a chamada “minuta do golpe”. Na visão de Valdemar, não houve qualquer tentativa de se estabelecer um “golpe de Estado” no Brasil.

No depoimento, Valdemar também disse que não estava presente nas reuniões de 7 de dezembro, em que supostamente se discutiu um golpe do estado e confirmou que esteve no Palácio da Alvorada em dez ocasiões após as eleições. Nas visitas, Valdemar negou que tenha discutido algum golpe de estado. Em alguns desses encontros, o dirigente partidário afirmou que foi apenas “animar” o ex-presidente. “O clima era de luto”, disse ele aos agentes da PF.

Leia mais:

Marinha iria seguir golpe de Bolsonaro, diz Baptista Jr.

Wajngarten reclama de “memória seletiva” de Freire Gomes

Mais Lidas

1

Astro de Hollywood cancela turnê após "piada" sobre atentado a Trump

Visualizar notícia
2

"Tiros mostram qual é a alternativa à democracia constitucional"

Visualizar notícia
3

PT não acredita que Trump sofreu um atentado?

Visualizar notícia
4

Exclusivo: Após lobby, clã Bolsonaro cria ‘startup’ para explorar grafeno

Visualizar notícia
5

Janones promete seguir "chafurdando na lama"

Visualizar notícia
6

China bane maior aplicativo católico do mundo

Visualizar notícia
7

A receita para denunciar desafetos do STF

Visualizar notícia
8

Mercado repercute Lula e Trump

Visualizar notícia
9

Human Rights Watch finalmente reconhece centenas de crimes de guerra do Hamas

Visualizar notícia
10

Musk mobiliza Vale do Silício para apoiar Trump

Visualizar notícia

< Notícia Anterior

Jovem desaparecido contata família e cancela casamento

15.03.2024 00:00 4 minutos de leitura
Próxima notícia >

Post do Real Madrid causa desconforto em Vinicius Jr., que ameaçou não entrar em campo

15.03.2024 00:00 4 minutos de leitura
avatar

Wilson Lima

Wilson Lima é jornalista formado pela Universidade Federal do Maranhão. Trabalhou em veículos como Agência Estado, Portal iG, Congresso em Foco, Gazeta do Povo e IstoÉ. Acompanha o poder em Brasília desde 2012, tendo participado das coberturas do julgamento do mensalão, da operação Lava Jato e do impeachment de Dilma Rousseff. Em 2019, revelou a compra de lagostas por ministros do STF.

Suas redes

Os comentários não representam a opinião do site; a responsabilidade pelo conteúdo postado é do autor da mensagem.

Comentários (0)

Torne-se um assinante para comentar

Notícias relacionadas

CadÚnico: saiba como receber programas sociais do Governo Federal

CadÚnico: saiba como receber programas sociais do Governo Federal

17.07.2024 12:15 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Após operação do governo, CCJ adia votação da PEC da autonomia do BC

Após operação do governo, CCJ adia votação da PEC da autonomia do BC

Wesley Oliveira
17.07.2024 12:11 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Abono Salarial: saiba como consulta o seu  benefício através da CTPS Digital

Abono Salarial: saiba como consulta o seu benefício através da CTPS Digital

17.07.2024 12:00 3 minutos de leitura
Visualizar notícia
Fundão de R$4,9 bilhões é matéria no Financial Times

Fundão de R$4,9 bilhões é matéria no Financial Times

17.07.2024 11:54 3 minutos de leitura
Visualizar notícia

Seja nosso assinante

E tenha acesso exclusivo aos nossos conteúdos

Apoie o jornalismo independente. Assine O Antagonista e a Revista Crusoé.